Home > Artigos > Detalhe do artigo

Aos pais, com carinho ....

Criar filhos é desafiante, acompanhá-los no desenho do que serão no futuro constitui-se em uma das fases mais delicadas entre pais e filhos. Hoje temos novos paradigmas baseados em um contexto radicalmente diferente do conhecido por aqueles que possuem filhos entre os 17 aos 25 anos: muitas áreas de conhecimentos, novas profissões, mercado aberto, estado em processo de encolhimento dentre outros. Seguem algumas reflexões de quem também é mãe e hoje cuida dos filhos de outros.

- Aposte nas competências naturais de seu filho. Ajude-o a conhecê-las e a pensar no como ele pode utilizá-las profissionalmente. Você se desempenha melhor naquelas áreas onde você utiliza seus ?recursos naturais?;

- No começo de carreira, seu filho não precisa de estabilidade ou de emprego; ele precisa de trabalho. Ajude-o a encontrar espaços organizacionais que possuam muito o que ensinar. Normalmente nestes lugares ele trabalhará muito, e muito provavelmente a remuneração não seja tão atrativa. Ele deve procurar conhecimento;


- Apóie-se em uma avaliação de potencial de carreira, custa menos que um sábado na praia e pode dar fortes indicativos do que apostar no futuro;

- O mercado procura muito atividades extra-curriculares: hobbys educativos, viagens ao exterior com roteiros culturais ( vale a pena inclusive passar alguns meses no exterior em missões, breves cursos etc ). Experiência de voluntariado é bem vinda;


- Ajude o seu filho a desenvolver uma postura responsável e comprometida com o trabalho desde muito cedo. Não é porque ele está começando e não possui uma função estratégica que o trabalho não deva ser encarado como algo importante;

- Havendo possibilidade, invista em uma universidade de primeira linha e em uma pós no mesmo valor;


- Experiência de sair de casa e morar só contribui fortemente para o amadurecimento;

- Caso você seja empresário e seu filho tenha um futuro muito bem desenhado, faça-o se preparar a nível de conteúdo para o desafio, não é porque será dele que o mesmo não precisa conhecer seu segmento e, sobretudo, faça-o ter contato com a empresa desde cedo ? estágios de férias, dias certos na semana para estar lá. Assim, começar a trabalhar no que será seu será algo natural;


- Ainda se a família tiver uma empresa, leve-o a respirar seu segmento: participar de debates, reuniões, leituras, discussões estratégicas. Você não educa um futuro diretor somente pedindo a ele que carregue caixas.

Outras reflexões podem ser acrescentadas. Como você está fazendo?


Texto publicado originariamente na revista Living / Leal Moreira

Nara D´ Oliveira

Diretora

Gestor Consultoria


Volta
 
Home | Candidato | Empresa | Posições | O Comtalento | Notícias | Artigos | Fale conosco
Gestor Copyright© 2006 Gestor Consultoria • Todos os direitos reservados.
Telefone: (91) 3204-1300
Desenvolvimento: Bredi • Criação sob medida