Home > Artigos > Detalhe do artigo

O Verdadeiro BBB

Tan... tan... tan ran ran. Em Brasília são 19hs. A agência de classificação de risco Standard and Poor's concedeu ao Brasil o patamar de grau de investimento BBB- nesta quarta-feira (30/04).

Aos olhos de qualquer político, economista ou homem de mercado esta foi uma notícia auspiciosa. O país foi considerado bom pagador por uma espécie de SPC internacional e com isso deve atrair investimentos, já que o risco de calote diminuiu consideravelmente. Ponto.

Não me furto a comemorar uma notícia como esta, no entanto esta é uma visão macro de uma política de longo prazo que uniu estabilidade com responsabilidade. Pragmatismo, sem ideologia. Após 14 anos, essa classificação não pode ser considerada vitória de qualquer governo, é uma vitória do país. Deixamos de acreditar (pelo menos por enquanto) em soluções messiânicas para os problemas econômicos para apostar no longo prazo. Os governos agem por instinto de sobrevivência e buscam atender os anseios da população. Nesse campo, portanto, deixamos de pedir truques para os mágicos de plantão em troca do enfadonho controle das contas.

Então, passo a acreditar que mudaram as pessoas e não os governantes. Assim, num truque típico do Big Brother Brasil (olha o trocadilho infame) as câmeras se voltam para o cidadão comum das ruas e vamos ver o que acontece.

Câmera 1 ? Alameda Santos, região da Avenida Paulista, coração financeiro do país. Cerca de 22h, 08 de maio. Um caminhão recolhe lixo corporativo de um prédio, todos em sacos plásticos pretos de 100 litros. Ao arrancar da garagem, o solavanco derruba um dos volumes no meio da alameda. Há poucos carros nessa hora e o motorista do caminhão não nota. Imediatamente atrás dele, percebendo o ocorrido e num reflexo impressionante, um táxi para, recolhe o saco e, mesmo de portas abertas, encosta no meio fio e deposita o volume perdido junto com outros que estavam empilhados para serem recolhidos. Não resisti. Imediatamente aplaudi o gesto do motorista, no que fui seguido pelo grupo de amigos que comigo caminhava. Aquele saco estava pronto pra ser estraçalhado por um motorista desavisado qualquer e espalhar seu conteúdo fétido por toda bela alameda. O gesto do motorista evitou esse transtorno. Não era responsabilidade dele, mas sua consciência cidadã falou mais alto. Essa consciência muda países.

Câmera 2 ? Restaurante estrelado na mesma região acima, poucas horas depois. Jantar de relacionamento entre clientes e fabricante. Cerca de doze pessoas, representando parte do PIB desse país. Todos satisfeitos, mais de uma hora da madrugada, alguns alterados pelo álcool. Só restava nossa mesa. O maitre apresenta a conta e as brincadeiras começam. Cada um puxa um cartão de visita e entrega pra pagar a conta. O maitre entende a brincadeira e aceita, mas quando o representante da empresa patrocinadora puxa realmente o cartão de crédito, gentilmente ele recusa e informa que não aceitam cartão de crédito, somente cartão de visitas. Ele falava sério, muito elegantemente, mas entendemos que era verdade. Nessa era de dinheiro de plástico ninguém carrega papel moeda e cheque está em completo desuso. Todos se olham atônitos, e agora, quem vai lavar os pratos? Gentilmente o maitre apresentou uma ficha e pediu para preenchermos com alguns dados e os demais ele pegaria no cartão de visita. Seria emitida uma nota fiscal com a devida cobrança bancária e enviada para um dos presentes. Tomei a iniciativa e me apresentei para a inusitada tarefa. Queria literalmente pagar pra ver. Cumprimentamos e agradecemos ao maitre e saímos de queixo caído do restaurante. Todos eram varejistas e comentavam essa nova/velha modalidade de crédito. Nem deixamos um fio de bigode. A surpresa era total. Dias depois a NF chega a minhas mãos e pago a conta. Paguei com orgulho, existe confiança no país, a agência de risco tinha razão, agora somos BBB. Só falta mostrar isso na televisão, o país está nas ruas.

Celso Eluan Lima

Diretor

Sol Informática


Volta
 
Home | Candidato | Empresa | Posições | O Comtalento | Notícias | Artigos | Fale conosco
Gestor Copyright© 2006 Gestor Consultoria • Todos os direitos reservados.
Telefone: (91) 3204-1300
Desenvolvimento: Bredi • Criação sob medida